Como a Análise de Risco influencia sua taxa de conversão?

O varejo digital é um dos segmentos do mercado que tem crescido ano após ano. Tem se popularizado e se mostra como uma boa opção para aqueles que desejam começar o seu próprio negócio, bem como para quem já tem endereço físico, mas deseja aumentar seu faturamento.

 

Entretanto, é um negócio no qual podem ocorrer diversas fraudes, a ponto de levar sua loja a ruína.

 

Hoje vamos falar de chargeback, um dos maiores problemas para quem possui e-commerce; a solução para este impasse, que consiste nas análises de risco; bem como a influência que esses dois termos exercem na sua taxa de conversão.

 

Como você já deve saber, aumentar a taxa de conversão é importante para quem tem um negócio digital. Diversos fatores têm peso na hora de expandir os números, a Análise de Risco é um deles.

 

Análise de Risco no mundo do comércio online refere-se aos mecanismos utilizados para evitar uma fraude. Pode ser feita de forma automática -utilizando software – ou manual.

Análise de risco automática

Podemos dividir a ação da análise em duas métricas: Falso Positivo e Falso Negativo

Falso Positivo

Nesse caso, o pedido é considerado fraudulento depois de passar pela análise automática, mas na verdade trata-se de um pedido legítimo. A partir da análise automática o pedido é enviado para a análise manual, e só então é aprovado.

Falso Negativo

Nessa situação ocorre o contrário ao tópico anterior: quando um pedido é aprovado, mas trata-se de uma fraude. Consequentemente ocorre o chargeback, e só então é possível constatar a fraude.

Análise Manual

Esse tipo de análise é feita por uma pessoa e por isso possui maior custo. O profissional fica responsável por avaliar minuciosamente os dados do usuário, bem como compará-los com o perfil de um cliente recorrente. Outra maneira de julgar o pedido é entrar em contato com titular do cartão a fim de uma confirmação de compra por parte do usuário.

Chargeback

O chargeback é um dos maiores pesadelos dos lojistas digitais. Ocorre quando a análise de risco manual não é feita, aprovando uma compra que na verdade é uma fraude.

 

A consequência é o cancelamento da compra – que na verdade nunca ocorreu – por parte do usuário, levando a loja a estornar o valor do produto.

Auxílio da Análise de Risco na taxa de conversão

O aumento da taxa de conversão tem peso nos resultados financeiros do negócio e por isso trata-se de um assunto atraente e diferencial para o lojista.

 

A análise de risco manual realizada de forma cuidadosa e detalhada contribui diretamente na taxa de conversão. Isso porque é possível mensurar o que de fato é uma compra, excluindo qualquer possibilidade de somar uma fraude. O resultado é uma avaliação concreta do número de compras.

 

Mas não é só na taxa de conversão que a análise de risco faz diferença. Ela também evita transtorno com o usuário, além de evitar problemas com as empresas que administram os cartões de crédito e débito. As bandeiras estipulam uma porcentagem de chargebacks que podem ocorrer, caso o número seja excedido, a loja recebe uma notificação.

 

Atualmente, diversas empresas oferecem esse tipo de serviço. A ClearSale é uma delas, que atualmente é líder em solução antifraude no Brasil e trabalha com cerca de 750 pessoas empenhadas em evitar qualquer tipo de transtorno relacionado a falsas compras.

 

 

Redação CoreBiz
2017-07-13T13:25:19+00:00 By |Conversão|